A Clínica

RETINOPATIA DIABÉTICA

RETINOPATIA DIABÉTICA

Retinopatia diabética moderada com presença de vários pontos de sangramento e depósitos de gordura na região da mácula. A angiografia demonstra apresença de alterações circulatórias na região macular e dilatação dos vasos.

RETINOPATIA DIABÉTICA

Aspecto da retina após a realização e cicatrização de um tratamento completo com fotocoagulação a laser.

RETINOPATIA DIABÉTICA

Quadro de retinopatia diabética avançada com descolamento de retina tracional.

Diabetes é uma doença de evolução crônica, na qual há falta total ou parcial de insulina e, daí, excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Isso produz uma série de alterações nos vasos sanguíneos em todo o corpo causando alterações renais (nefropatia diabética), do coração (cardiopatia diabética), dos nervos (neuropatia diabética) e nos olhos (retinopatia diabética).

A retinopatia diabética é uma grave complicação do diabetes, causada pela obstrução dos vasos sangüíneos da retina. Esses vasos, enfraquecidos pela doença, sangram. As hemorragias se organizam, se retraem, exercem tração sobre esses vasos, que tornam a sangrar. Essas hemorragias também alteram o vítreo, que vai se retraindo e puxando a retina, descolando - a. Nesse estádio, as coisas já estão mais difíceis, a visão já diminuiu muito e as chances de uma boa recuperação são bem menores. Outras alterações graves causadas pelo diabetes são: o edema macular (maculopatia diabética), a neuropatia óptica diabética e as obstruções das veias da retina, que produzem acentuada baixa de visão. As obstruções venosas têm potencial para causar complicações mais graves e dolorosas, como o temível glaucoma neovascular.

O exame de mapeamento de retina é um dos mais importantes para detecção da retinopatia. Simples, rápido, indolor, é ele que vai nos dizer se já existem lesões diabéticas, o estádio em que elas se encontram e qual o tratamento indicado. Essas informações, repassadas ao seu endocrinologista, vão ajudá - lo no controle clínico de sua doença.

Nós vamos tratar a retinopatia diabética, ou com a fotocoagulação a laser, com injeções intravítreas ou com a vitrectomia. Com a fotocoagulação a laser, nós cauterizamos a retina com um tipo especial de luz, para prevenir sangramentos, destruir os vasos enfraquecidos da retina e evitar, assim, que as lesões progridam. É uma arma muito valiosa, indispensável mesmo, no tratamento da retinopatia diabética.

Além da fotocoagulação a laser, atualmente, dispomos de outros recursos para tratamento das alterações vítreas (hemorragias, por exemplo), do edema macular e das obstruções venosas da retina.

O uso de substâncias antinflamatórias e antiangiogênicas (que dificultam o nascimento e crescimento de novos vasos) introduzidas dentro do olho como a Triancinolona e o Avastin revelam - se armas importantes e promissoras no tratamento das alterações vítreas, do edema macular e das obstruções venosas já citadas. E a vitrectomia? A vitrectomia é uma cirurgia para retirada do vítreo quando ele, organizado e desestruturado, já causou hemorragia vítrea ou descolamento de retina ou ameaça causá-lo. Uma melhora significativa da visão costuma ocorrer em aproximadamente 70% dos pacientes operados.

Nesses próximos anos teremos muitas novidades e o diabetes vai, em breve, sair da lista de inimigo juramentado do homem. Muito já conseguimos, a batalha final está próxima e a vitória será nossa! O pâncreas artificial está sendo intensamente pesquisado. O transplante de pâncreas é uma possibilidade real e hoje já está sendo realizado em casos selecionados. Os médicos estão tentando uma alternativa: o pâncreas bio - híbrido, que impediria o acesso das células imunológicas capazes de destruí-lo!

Estudos genéticos (identificação de possíveis genes para o diabetes) permitirão ao médico entender melhor e até prevenir o surgimento da doença em pessoas de risco. E quais são as perspectivas, do ponto de vista estritamente oftalmológico? Sabemos que há substâncias (fatores angiogênicos) que estimulam o aparecimento de novos vasos na retina do diabético: o que precisamos compreender melhor a maneira de como esses fatores atuam e com isso inibir ou anular a ação desses fatores, prevenindo o aparecimento da retinopatia diabética. Já começamos a usar essas substâncias isolada ou associadamente (Avastin e Triancinolona) e o leque com certeza em breve se abrirá mais. Em suma, existem pesquisas promissoras cujos resultados brevemente estarão ao nosso alcance. Mas, para que o portador possa se beneficiar delas, futuramente, é necessário que ele esteja atento ao tratamento médico, para evitar, retardar ou reduzir ao máximo as complicações do diabetes.

Shopping Cittá América - Av. das Américas, 700 bl. 08 lojas 104 D,E e F
Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ | CEP: 22640-100
Tel: (21) 2496-1161

Horário de Funcionamento:
De Segunda a Sexta, das 8:00h às 20:00h
Sábados das 08:30 às 12:30
ATENDEMOS EMERGÊNCIAS

DESENVOLVIDO POR WWW.ATASH.COM.BR